Medicina USP


USP

Notícias

Curso na FMUSP traz 23 especialistas estrangeiros para discutir o HIV

A décima segunda edição do Curso Avançado de Patogênese do HIV foi encerrada nesta quarta-feira, dia 05/04, com a palestra O impacto da PrEP na prevenção, ministrada pelo prof. Dr. Esper G. Kallás, idealizador do evento. O curso trouxe à Faculdade de Medicina da USP 23 palestrantes estrangeiros. 


Esta edição também introduziu novidades, como a sessão de pôsteres e a sessão Controvérsias, que trouxe médicos, pesquisadores e ativistas para debater temas polêmicos, como o auto-teste para HIV e o uso da camisinha para portadores de HIV com carga viral indetectável.


A sessão Controvérsias “Meu parceiro é indetectável, devo usar camisinha?”, mediada pelo infectologista Alvino Maestri, teve a participação de dr. Ricardo Vasconcelos, infectologista do Hospital das Clínicas, e do ator e ativista Gabriel Estrela, do Projeto Boa Sorte, ação que resultou na campanha #eufalosobre. Nela, os debatedores discutiram o uso da camisinha nas relações de casais homoafetivos em que um deles tenha carga viral indetectável do HIV. O dr. Ricardo Vasconcelos mostrou que, nesse caso, todas as pesquisas apontam que o vírus não é transmitido para o parceiro. No entanto, alertou para o risco que existe quando não há parceiros fixos, porque existe a possibilidade de contaminação por outras DSTs.


O XII Curso Avançado de Patogênese do HIV teve todas as vagas preenchidas, com 470 inscritos. O mesmo ocorreu com as outras atividades. Foram 460 para a Oficina Básica, 300 para o Mini-Curso de Pesquisa Clínica, 100 para a Oficina Teórica de Citometria e mais 30 para a Oficina Básica.


Compartilhe: