Medicina USP


USP

Notícias

Faculdade de Medicina recepciona pais de calouros

A Faculdade de Medicina recepcionou, neste domingo, 05 de março, os pais dos novos alunos dos cursos de Medicina, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Participaram da cerimônia o diretor da FMUSP, Prof. Jose Otavio Costa Auler Júnior, o presidente da Comissão de Graduação, Prof. Edmund Baracat, a coordenadora dos cursos da Fofito, Profa. Raquel Casarotto, Maria Luiza Corullon, presidente do CAOC, Ana Carolina Muller e Silva, vice-presidente do CAAVEC, Vyvyan Máximo Andrade, presidente da AAAFOFITO, e o prof. Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho, membro do Conselho Consultivo da AAAOC.

Para um público de  cerca de 600 pessoas, o evento contou com as apresentações do Med Dança, dos músicos do Remusp e do Coral da Fofito.

Os ingressantes

Fernanda Moreira Silva, de 17 anos, estava acompanhada dos pais Marta e Giovani, que confessam que já esperavam a aprovação da filha no vestibular, mas não disfarçavam o orgulho dela ser a primeira colocada no curso de Terapia Ocupacional. Fernanda conheceu o curso por meio de seu coordenador no ensino médio, que recomendou que assistisse o filme "Patch Adams: o amor é contagioso", a história de um médico que utilizava as técnicas de TO no tratamento de seus pacientes. Naquele momento descobriu sua vocação e a profissão que queria seguir. Sua expectativa é que curso ofereça uma forte visão social e que as áreas da saúde possam trabalhar integradas, especialmente em projetos interdisciplinares.

Já Henrique Van der Laan, de 20 anos, de Santos, SP, teve dúvidas na hora de escolher o curso. Fez um ano de Engenharia antes de optar por um novo vestibular para ingressar na Fisioterapia na USP. Ele diz que a troca de curso causou a família, mas o apoio dos pais foi fundamental para sua escolha.Aprovado em Odontologia na Unicamp, teve a torcida da mãe, Cecília, que também é fisioterapeuta, para escolher a USP, embora ela garanta que não influenciou na decisão do filho.

Dúvida sobre que curso escolher e que faculdade cursar nunca passou perto de Rodrigo Seiji Kubota, de 21 anos. Ele conta que desde criança queria ser médico, mas só se fosse formado pela USP. Chegou a ser aprovado em outras universidades no ano passado, mas continuou tentando o vestibular da Fuvest. Rodrigo já escolheu até a especialização, quer ser neurocirurgião. A família de Indaiatuba, interior de SP, sempre apoiou sua luta e sua escolha e acompanhava o novo calouro da FMUSP feliz pela realização de um sonho.

Ricardo Madeira é outro ingressante que optou pela FMUSP,apesar de ter sido aprovado no vestibular de medicina das três universidades estaduais de São Paulo. Os pais Darlen e Ricardo também são médicos e contam que ele passou um ano se preparando para o vestibular. A família é do interior de São Paulo e rapaz de 17 anos terá de mudar para a Capital, mas a mãe diz que está preparada porque também saiu de casa com 16 anos para estudar medicina.

Ricardo não vai morar sozinho em São Paulo. Por meio de um grupo no Whatsapp, encontrou Vitor Scheyer, carioca de 21 anos que também ingressa no curso de Medicina. Vitor está animado com a vinda para São Paulo e pretende se adaptar logo à cidade, embora só tenha conhecido os bairros próximos à FMUSP.

Adaptado mesmo está Giovanni Bassetto Delcorso, de 21 anos,que já no evento de recepção se apresentou tocando guitarra com o grupo do Remusp. Passar no vestibular não foi tão fácil. Os pais Vera Lúcia e Adevaldo acompanharam sua luta durante quatro anos de cursinho para entrar na Medicina. A avó Maria Aparecida, que acompanhava o neto cheia de orgulho, garante que suas orações ajudaram. Ela diz que convocou uma equipe completa para que a oração funcionasse. Pelo sim, pelo não, Giovanni é ingressante da 105º turma de Medicina da FMUSP.

Compartilhe: