Curso de Especialização em Educação na Saúde

Curso de Especialização em Educação na Saúde



Curso de Especialização em Educação na Saúde 3a. Edição

25 de setembro de 2020 a 04 de dezembro de 2021 | Presencial | Pré-inscrições abertas
Clique aqui para acessar o formulário de pré-inscrição: https://forms.gle/jEtqRE8ogRyVXMCS6

Apresentação do Curso

O propósito deste Curso de Especialização em Educação na Saúde é ajudar você a encontrar maior satisfação na sua prática docente, tornando-a mais efetiva e inspiradora, a partir da aplicação de evidências científicas, novas tecnologias e os princípios de educação de adultos. Você participará de uma comunidade de prática com educadores de todas as regiões do Brasil e de outros países e, em colaboração com eles, construirá projetos educacionais inovadores, aplicáveis ao ensino para grandes e pequenos grupos, em salas de aula, ambientes de cuidado à saúde e na comunidade.

O curso desenvolverá as competências necessárias para que você consiga sistematizar e produzir conhecimentos, além de desenvolver liderança para uma prática transformadora no campo da educação e da saúde.

O curso leva em conta a diversidade da formação em saúde no Brasil, desenvolvendo competências aplicáveis a cada realidade. Encontros mensais e a utilização das ferramentas de ensino à distância neste processo de formação permitem a inclusão de profissionais vinculados a instituições de ensino superior de diferentes naturezas e localizações.

 A coordenação do curso e o grupo de professores esperam que você tenha uma experiência educacional significativa para o seu desenvolvimento, que contribua diretamente para a inovação e produção de conhecimento na área de educação na saúde, para a formação de outros profissionais e, indiretamente, para a melhoria do cuidado à saúde oferecido à população brasileira.

Milton de Arruda Martins
Patricia Zen Tempski
Coordenadores do Curso de Especialização em Educação na Saúde

Objetivo

O Curso de Especialização em Educação na Saúde visa fortalecer a formação de docentes para atuarem na formação de profissionais da saúde na graduação e pós- graduação. Seu objetivo central é contribuir para a formação de professores em aspectos pedagógicos e gerenciais do ensino superior das profissões da saúde.

Público-alvo

O curso se destina aos profissionais da saúde que atuam como professores, preceptores, supervisores e/ou coordenadores de cursos ou estágios em campo de prática, gestores do ensino e pós-graduandos na área da saúde.

Perfil de competências do docente

Este curso assume como definição de competência a capacidade de mobilizar um conjunto de recursos integrados (conhecimento, habilidades e atitudes) para enfrentar situações diversas e complexas e desenvolver respostas a situações problema (Perrenoud, 1999). O perfil de competências do docente deste curso tem como referência documentos nacionais e internacionais, que apontam para oito áreas de atuação ou competências gerais: Provedor de informações, planejador curricular, facilitador e mentor, avaliador, modelo de profissional e professor (role model), Profissional (que atua com profissionalismo), Gestor e líder e pesquisador (Harden, 2018).



Referenciais Teóricos do Curso 

Este curso se fundamenta nos conceitos da aprendizagem significativa, da aprendizagem de adultos, comunidade de prática e liderança na complexidade.

A aprendizagem significativa, conceito desenvolvido por David Ausubel, pode ser definida como a interação cognitiva que se dá entre um novo conhecimento, potencialmente significativo, e algum conhecimento prévio especificamente relevante existente na estrutura cognitiva do aprendiz. Para que ocorra a aprendizagem significativa é necessário que aquele que aprende atribua significado ao conhecimento novo.

O fator isolado de maior relevância para a aprendizagem, segundo Ausubel (1968), é o que o aprendiz já sabe, as experiências que já tem. A aprendizagem de adultos se fundamenta na participação e horizontalidade da relação educador-educando e no processo de reflexão e ação sobre a realidade. Tem como premissa que o educando é um ser em contínua evolução.

Enfatiza, no processo de aprendizagem, o desenvolvimento da sua identidade pessoal e profissional e valoriza suas experiências anteriores. Considera que os adultos querem saber por que precisam aprender determinadas coisas; que aprendem quando reconhecem a necessidade de aprender; que a aprendizagem se potencializa quando as atividades têm como eixo orientador situações reais; e que os recursos intelectuais e as experiências relevantes de cada pessoa constituem pontos de referência para novas aprendizagens, necessitando de devolutiva qualificada e constante (Knowles, 1990). Autonomia, iniciativa, criatividade e responsabilidade, segundo Paulo Freire são valores orientadores do processo de aprender que resulta em transformação individual e da realidade, a partir da construção de uma consciência crítica sobre ela e sobre si mesmo, o que ele denominou de “pedagogia progressista” (Freire, 1979, 2008).

O conceito de comunidade de prática valoriza a integração individual em uma comunidade de profissionais, para corrigir, reforçar ou aprimorar sua prática. Esta forma de educação profissional favorece além da aquisição de conhecimentos, o desenvolvimento de profissionalismo, aqui entendido como postura que visa oferecer a melhor qualidade de cuidado, levando em conta os interesses do paciente. Existem evidências da efetividade de comunidades de práticas utilizando tecnologias digitais de comunicação, para o compartilhamento de informações.

O processo de aprendizado colaborativo das comunidades de prática virtuais está focado na aplicabilidade dos conhecimentos e na facilidade de interação, mesmo com grandes distâncias geográficas e de agenda profissional, garantida pela interface on-line (Barab, 1991, Lave 1991, Cantillon, 2014).

O conceito de liderança na complexidade foi desenvolvido por Glenda Eoyang e Stewart Mennin, e se aplica a contextos organizacionais complexos e não lineares, incluindo aqueles de ensino e cuidado. Este modelo baseia-se em ações adaptativas, definidas pela tomada de decisões norteadas por respostas críticas às perguntas: “O quê?”, “E daí?” e “E agora?” (“What”, “So What?” and “Now What?”). Este processo visa o entendimento de padrões (O quê?), a análise de relevância e significados destes padrões (E daí?), seguidos de reflexão sobre como modificá-los (E agora?). O modelo de ações adaptativas é uma proposta para desenvolver competências relativas à liderança e resiliência institucional (Eoyang, 2013).

Método de Ensino

Reconhecer o aluno como ser ativo, autônomo e possuidor de experiências relevantes para o seu processo de aprendizagem implica na escolha de um método de ensino que favoreça o desenvolvimento destas características. Este curso privilegia a reflexão sobre a prática, utilizando métodos ativos de aprendizagem, adequados ao proposto na Pedagogia Progressista (Freire, 2008), na Problematização com o Arco de Maguerez (Berbel, 2012) e no Modelo de Ações Adaptativas (Eoyang, 2013), referenciais teóricos do curso. A problematização estabelece que as atividades de ensino aprendizagem devem partir de um recorte da realidade, da observação analítica e crítica dela, da qual é extraído um problema relevante para o estudo.

Uma vez delimitado o problema e aprofundado o conhecimento sobre ele, formulam-se hipóteses de solução e sua aplicação na realidade da qual ele foi extraído. Baseado na premissa de transformar a prática docente, o curso utilizará os cinco passos propostos no Arco de Maguerez e nos princípios da educação de adultos de Paulo Freire, em estratégias de ensino aprendizagem organizadas para apoiar a construção de um Trabalho de Conclusão de Curso que resulte em produção de conhecimentos e inovações pedagógicas capazes de transformar do processo educacional individual e coletivamente (Freire, 1979; 2008).

A produção de conhecimento e inovações que se esperam ao final do curso serão apoiadas por processos colaborativos e criativos a partir de Design Thinking (Brown, 2018), e a mudança da realidade, com a aplicação deles, será direcionada pelo modelo de Ações Adaptativas, que apoia tomada de decisões e planejamentos decorrentes delas (HDS, 2018).

O programa se caracteriza por uma estrutura bimodal: um encontro presencial mensal e atividades de ensino a distância (EaD) em ambiente virtual de aprendizagem (AVA) na plataforma Google Classroom e Zoom.us para encontros síncronos.

A aprendizagem colaborativa é o foco central do curso, portanto cada participante participará de grupos com diferentes composições: Grupo de Journal Club (8 participantes), Grupo de Pesquisa em Educação (8 participantes) e Grupo de Design Thinking (15 participantes).

A plataforma eletrônica do curso oferece conteúdos e atividades individuais e em grupo quinzenalmente, e está estruturada com diferentes recursos que viabilizam os objetivos educacionais propostos. Além disso, o ambiente virtual de aprendizado tem a função de repositório do material do curso (aulas, vídeos, artigos e produtos das oficinas). Cada encontro oferece oito blocos de atividades, sendo três atividades em pequenos grupos (Journal Club, Design Thinking e Pesquisa em Educação), duas atividades teóricas e três atividades práticas.

Carga Horária

O Curso de Especialização em Educação na Saúde tem 394 horas, distribuídas em:

14 encontros presenciais* de 16 horas (224 horas) 
110 horas de interação e estudo em ambiente virtual de aprendizagem
60 horas para produção do Trabalho de Conclusão de Curso
Espera-se que o especializando utilize duas horas por semana para suas atividades educativas em plataforma eletrônica e leituras, estudo, pesquisa e outras atividades relativas ao curso.

*Durante a pandemia da COVID-19, os módulos serão ministrados na modalidade remota. Assim que possível, e conforme orientações das autoridades, as atividades presenciais serão retomadas

Programação

O programa do curso está organizado em 14 encontros presenciais mensais, sendo o último encontro destinado à apresentação dos Trabalhos de Conclusão de Curso. Além de atividades semanais em ambiente virtual de aprendizado e um encontro síncrono mensal online. O curso se desenvolve a partir de nove unidades temáticas, que se integram a cada semana no ambiente virtual de aprendizagem, e em mais de 60 estratégias educacionais vivenciadas ao longo do curso, e na elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso.

Datas

2020
25 e 26 de setembro
07 de outubro
9 e 10 de outubro
28 de outubro
13 e 14 de novembro
25 de novembro
4 e 5 de dezembro

2021
5 e 6 de fevereiro
24 de fevereiro
12 e 13 de março
31 de março
09 e 10 de abril
28 de abril
14 e 15 de maio
26 de maio
11 e 12 de junho
30 de junho
9 e 10 de julho
28 de julho
13 e 14 de agosto
01 de setembro
17 e 18 de setembro
3 e 4 de dezembro

Avaliação do Especializando

O Curso de Especialização em Educação na Saúde considera a avaliação parte integrante do processo de ensino-aprendizagem, e a realiza continuamente (avaliação formativa), sob a forma de diálogo, com feedback acerca dos avanços e necessidades de aprendizado de cada participante, utilizando conceitos. São elementos da avaliação:

  1. Frequência: Participação no grupo de Journal Club e Design Thinking
  2. Qualidade da participação nos fóruns do grupo tutorial e as reflexões no portfólio e na avaliação do programa
  3. Trabalho de Conclusão de Curso Avaliação do Programa

O Curso de Especialização em Educação na Saúde é avaliado continuamente por meio de formulário eletrônico, ao final de cada encontro presencial. A avaliação é feita por alunos e tutores, e segue o modelo de avaliação de programa proposto por Donald Kirkpatrick (1959; 2006).

O primeiro nível de medida é a reação do participante e do tutor realizadas por meio de análise qualitativa e quantitativa das suas respostas ao formulário eletrônico de avaliação do programa.

O segundo nível de avaliação do programa diz respeito ao aprendizado demonstrado ao final do curso, acessado a partir da análise dos Trabalhos de Conclusão de Curso elaborados pelos concluintes, e indiretamente pela medida de acesso ao ambiente virtual de aprendizado e reflexões-síntese de cada encontro. Ao final de cada encontro será solicitado do participante uma reflexão-síntese, em formulário eletrônico, de cada atividade do encontro presencial, com o objetivo de compreender qual foi a sua percepção sobre o conteúdo, formato da atividade, qual a mensagem central mais significativa e como aplicará o novo conhecimento na sua realidade. O terceiro nível de avaliação de programa analisa evidências de mudanças de comportamento, verificadas nas respostas qualitativas e quantitativas ao instrumento de verificação de mudança de comportamento.

NOVIDADES DA SEGUNDA EDIÇÃO DO CEES

Mais Journal Club: O Journal Club é a atividade preferida dos nossos especializandos! Por isso, faremos um segundo encontro mensal online, 15 dias após o encontro síncrono. Dessa forma, ficará mais fácil criar uma rotina de leitura de artigos científicos na área de educação e discutir com o grupo, potencializando ainda mais o seu aprendizado!

Atividades extra: Todo mês você receberá uma sugestão de atividade extra para ampliar seu conhecimento relativos ao módulo. E você pode esperar muitas boas surpresas!

Ambiente Virtual de Aprendizagem Institucional: Todas as atividades do curso são apoiadas em um ambiente virtual de aprendizagem interno a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Dessa forma os participantes recebem um e-mail @fm.usp.br, que lhes dá acesso ao material do curso, ao acervo da biblioteca e outras ferramentas digitais.

Pergunte e Compartilhe: O CEES se baseia na aprendizagem colaborativa. Desta forma, criamos um espaço para fazer perguntas aos professores e aos colegas, compartilhar ideias, literatura e imagens.