Notícias

A Comissão de Resíduos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) organizou uma coleta especial para que membros da comunidade pudessem se desfazer de toners, cartuchos de impressora, radiografias, CDs, DVDs e disquetes, no último 3 de agosto.  

Se fossem descartados de modo inadequado, esses produtos poderiam demorar milhares de anos para se decompor, além de poluir e contaminar o ambiente. “Quanto mais material pudermos evitar que acabem em aterros sanitários e possam ser reutilizados, melhor”, diz a Profa. Thais Mauad, do Departamento de Patologia da FMUSP, e presidente da Comissão de Resíduos da Faculdade.  

Desde plástico, componentes metálicos e pequenos circuitos, até materiais tóxicos, como amônia, cromo e metanol foram direcionados para que empresas especializadas realizem a extração desses materiais e uma reciclagem adequada. Ao todo, foram coletados 80 toners e cartuchos, cerca de 78 quilos de radiografias e 36 quilos de CDs, DVDs e disquetes.  

“A campanha foi muito positiva e recolheu uma grande quantidade de material, mesmo considerando que durou apenas um dia”, celebra a professora Thais Mauad. Quem perdeu a oportunidade, entretanto, não precisa se preocupar. Membros da FMUSP podem entrar em contato com a Comissão de Resíduos ou se dirigirem ao Ecoponto, na área próxima às catracas e aos relógios de ponto, para descartar produtos como toners, cartuchos de impressora, pilhas, baterias, CDs, DVDs, disquetes, radiografias, cartões magnéticos, embalagens plásticas metalizadas, esponjas dupla-face e instrumentos de escrita.