Notícias

O Bacharelado em Física Médica é um curso interdisciplinar para quem tem interesse em exatas, recursos computacionais, tecnologias, ciências biomédicas e pesquisa em laboratório

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e o Instituto de Física (IF) da USP se uniram para a criação do curso de Graduação em Física Médica, a ser ministrado em ambas as instituições, localizadas na cidade de São Paulo, a partir do próximo ano letivo. A USP, que já oferece o curso inserido na mesma carreira no campus de Ribeirão Preto, aprovou por meio do Conselho Universitário (CO), em março de 2021, a constituição do novo curso na capital. 

Para a implantação foi formado um grupo de trabalho, do qual integram três docentes de cada uma das instituições parceiras e está sob a coordenação da Profa. Elisabeth Mateus Yoshimura, Titular do Departamento de Física Nuclear do IFUSP. “Esperamos ansiosamente o ingresso de estudantes curiosos, que tenham bom desempenho na área de exatas e que queiram aprofundar seus conhecimentos na área da saúde. Que o nosso sonho também seja o deles!”, declara a Profa. Elisabeth. 

Um longo processo de estudo sobre o curso foi percorrido por muitos anos e diversas propostas foram feitas no passado, no entanto, dessa vez, o êxito foi alcançado, é o que conta o Prof. Paulo Roberto Costa, Associado do Departamento de Física Nuclear do IFUSP. “As conversas foram amadurecendo nos últimos dez anos, através da coparticipação do IFUSP com a FMUSP. A retomada aconteceu nos últimos três a quatro anos, quando a negociação do projeto se materializou, no formato atual, e foi aprovado pelo CO", afirma o Prof. Paulo Roberto.

A Física Médica compreende a aplicação dos conhecimentos de ciências exatas no contexto da medicina, “dos conceitos, leis, modelos, agentes e métodos da Física para o diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças, desempenhando importante função na assistência médica, na pesquisa biomédica e na otimização da proteção radiológica”, afirma o Prof.  Marcelo Tatit Sapienza, Associado do Departamento de Radiologia e Oncologia da FMUSP. 

O curso visa capacitar profissionais para atuarem em clínicas e hospitais que façam uso de tecnologias de produção de imagens e tratamentos, nas indústrias que fabricam equipamentos e/ou eletrodomésticos, em laboratórios de calibração, universidades e institutos de pesquisa, desenvolvimento e inovação. “O compromisso da FMUSP e do IFUSP é de preparar profissionais que atendam com competência a um mercado de trabalho ligado à assistência à saúde da população e colaborem criativamente com projetos de pesquisa em áreas de interface Medicina-Física”, afirma a Profa. Elisabeth Yoshimura, do IFUSP.

Dentro da Faculdade de Medicina da USP, a cultura colaborativa é estimulada, assim como, a assistência e o cuidado integral com o paciente. O Prof. Roger Chammas, Vice-Diretor da FMUSP, assegura: “temos o compromisso de formar médicos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais que saibam trabalhar em equipe, além de terem o desenvolvimento das competências técnicas individuais. Promovemos a capacitação de profissionais inovadores, com pensamento crítico e que façam uso do método científico. Todas essas competências que instigamos também serão extensivas aos alunos e futuros físicos médicos”.

Estrutura curricular

No total, serão disponibilizadas 25 vagas, com aulas no período noturno e duração de cinco anos. O curso será dividido em três grandes módulos: o primeiro composto por formação básica em física, matemática, computação e ciências biomédicas; na sequência, aplicações biomédicas; e, por último, estágios práticos em ambientes hospitalares.

Como apoio, o curso de Física Médica contará com as estruturas tanto do IFUSP, quanto da FMUSP, há salas para aulas teóricas e práticas, laboratórios didáticos e de pesquisas, salas com computadores, ambientes multimídias, auditórios, bibliotecas e equipamentos de diagnóstico por imagens. Todo o complexo do Hospital das Clínicas da FMUSP estará disponível para as aulas práticas de algumas disciplinas e/ou estágios, em particular, o Instituto de Radiologia (InRad) e o Instituto do Câncer (ICESP). 

O estudo da Física Médica envolve um conjunto de disciplinas que abordam a “aplicação dos conhecimentos da física nos procedimentos diagnósticos e terapêuticos da medicina, com destaque para atuação nas áreas de imagens médicas, proteções radiológicas, radiodiagnósticos, radioterapia, medicina nuclear e dosimetria”, diz o Prof.  Marcelo Tatit Sapienza, da FMUSP.

Na Faculdade de Medicina da USP, serão ministradas as seguintes disciplinas curriculares: Introdução a Física Médica, Informática Médica I, Elementos de Anatomia e Fisiologia Humana, Estatística Médica I, Equipamentos Médico-Hospitalares, Diagnóstico por Imagens Médicas, Física do Diagnóstico por Imagens I, Proteção Radiológica I, Medicina Nuclear, Radioterapia, Física do Diagnóstico por Imagens II, Introdução ao Ambiente Hospitalar, Tópicos Avançados de Matemática e Física em Medicina, Introdução à Saúde Ocupacional, e Medicina Legal e Ética da Física Médica.

No Instituto de Física da USP, as disciplinas disponíveis são: Física I, Física Experimental I, Física II, Física Experimental II, Física III, Física Experimental III, Física IV, Física Experimental IV, Física do Corpo Humano, Efeitos Biológicos das Radiações Ionizantes e Não-Ionizantes, Física Matemática I, Física Quântica, Mecânica I, Física das Radiações I, Laboratório de Dosimetria das Radiações, Mecânica Quântica I, e Eletromagnetismo I.

Perspectivas futuras

A Física Médica tem se fortalecido como profissão em todo o mundo, devido ao aumento da complexidade das técnicas de diagnósticos e terapias decorrentes do avanço tecnológico e do reconhecimento de que as ações interdisciplinares trazem mais eficiência no atendimento aos pacientes. “Existem duas grandes áreas de atuação dos físicos médicos: a área clínica e a pesquisa. No Brasil, há demanda para ambos os perfis profissionais, e o vínculo entre a FMUSP e o IFUSP potencializa ambas, pois os alunos terão apoio de profissionais e pesquisadores tanto na física quanto na medicina, o que permitirá uma formação de excelência independentemente da área de atuação que eles escolherem”, afirma o Prof. Paulo Roberto Costa, do IFUSP.

O anúncio do curso acontece de encontro com o expressivo desenvolvimento do campo da física médica e da necessidade de existirem profissionais muito bem capacitados. “Se queremos inovar, precisamos ter essa pluralidade de perspectivas, necessitamos de pessoas com o olhar da tecnologia para propor soluções que a gente se quer imagina. Com a diversidade é possível criar um ambiente que seja mais instigante e que nos desafie”, explica o Prof. Roger Chammas. O Vice-Diretor da FMUSP ainda complementa: “queremos fazer o cuidado pleno do paciente, para isso vamos ter que ter múltiplos profissionais com perspectivas diferentes da técnica, trabalhando conjuntamente para complementar nossas limitações. Então, precisamos buscar competências que os indivíduos isolados não têm, mas que a instituição pode ter. Essa busca por outros olhares sobre a saúde é o que a Faculdade de Medicina almeja, ter profissionais com diferentes formações”. 

Admissão

A forma de ingresso é por meio do vestibular organizado pela Fundação Universitária para o Vestibular (FUVEST) e/ou Sistema de Seleção Unificada (SISU), assim como para os demais cursos da USP. A seleção via FUVEST já está com inscrições abertas e tem previsão de realização da primeira fase do concurso em dezembro de 2021, confira em: fuvest.br/vestibular-da-usp/. A respeito do SISU, acompanhe em: sisu.mec.gov.br.

Para mais informações, clique aqui.