Notícias


Na sessão de abertura da Semana de Recepção aos Calouros da Faculdade de Medicina da USP, que se iniciou no dia 26 de fevereiro, o diretor da FMUSP, professor José Otávio Costa Auler Jr., colocou em perspectiva a missão original da criação faculdade e como sua história vem se desenrolando frente aos desafios da sociedade globalizada. Ressaltou a importância do papel social dos ingressantes e observou a necessidade dos profissionais da saúde cuidarem primeiramente da própria saúde mental e física a fim de poderem centralizar a atenção no paciente. “Fomos criados dentro da visão de escolas de higiene para dar respostas a um grande problema que abatia a sociedade na época, que era a febre amarela. Hoje, ironicamente, estamos diante do mesmo desafio”, lembrou o professor Auler.

O presidente da Comissão de Graduação, professor Edmund Chada Baracat, e o professor Joaquim Edson Vieira, falaram das mudança curriculares e da estrutura do curso de medicina, mostrando como as questões humanas da formação médica interceptam as necessidades de aquisição de conhecimento científico, clínico e teórico.

A professora Carla Gentile Matas, representante da Comissão Coordenadora do Curso de Fonoaudiologia, mostrou a estrutura do Departamento de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional (FOFITO). Os diversos representantes discentes s deram depoimentos pessoais e apresentaram o papel das agremiações estudantis e serviços de apoio ao aluno. 

“Não estamos aqui para um sacerdócio coletivo. Mas é preciso alertar que quem ingressou numa universidade pública e com o peso que tem esta instituição deve estar ciente da sua responsabilidade social. A carreira é pesada e sua formação longa. São 11 anos. É um momento de liberdade, mas também de muita responsabilidade. É preciso assumir o significado dessa carreira e isso inclui preservar a própria saúde mental e física. A relação com o álcool e substâncias ilícitas podem provocar abalos na saúde mental”, alertou o diretor da FMUSP.

Auler Jr. lembrou das dificuldades de aquisição de conhecimento e a complexidade do curso.  “No colégio, o conhecimento chegava para vocês em caixinhas, de uma maneira organizada. Aqui pode ser que ele chegue de uma forma caótica. Isso pode confundir um pouco vocês. Mas saibam que terão todo o apoio, seja dos professores, das agremiações, dos serviços aos alunos ou dos colegas. O importante é resolver sempre tudo no diálogo e saber que sempre terão apoio”, disse.

Com o tema “Veterano, violência não se conjuga”, a Semana de Recepção aos Calouros se estendeu até o dia 2 de março. É um momento de interação em que os novos alunos conhecem um pouco da Universidade e do curso de Medicina.

A programação para os calouros da Faculdade de Medicina incluiu uma série de gincanas, atividades esportivas e lúdicas, além de vivências nas dependências do Hospital das Clínica, Instituto da Criança e Instituto de Tratamento do Câncer Infantil (ITACI), todos ligados à FMUSP.

A Comissão de Integração da Semana de Recepção dos Calouros da FMUSP agregou diversas atividades voltadas à introdução do tema da humanização no atendimento. 



Sessão de abertura da Semana de Recepção aos Calouros da FMUSP

Prof. Baracat

Novos estudantes da FMUSP         

Representantes discentes dão as boas-vindas