Notícias

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) foi uma das instituições finalistas do prêmio da Academia Nacional de Medicina (ANM), edição 2020. Em uma sessão científica virtual, com mais de 240 participantes, o Prof. Rubens Belfort Jr., presidente da ANM e membro da Academia Brasileira de Ciências, anunciou os nove vencedores, no dia 06 de agosto de 2020.

Na categoria melhor trabalho de 2019 em Ginecologia e Obstetrícia “Prêmio Madame Durocher”, foi laureado o “Primeiro nascimento mundial após transplante uterino com doadora falecida”, de autoria dos médicos do Hospital das Clínicas (HC) da FMUSP Dani Ejzenberg, ginecologista, e Wellington Andraus, gastrocirurgião, supervisionados pelo Professor José Maria Soares Júnior, Livre Docente do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia e pelos Professores Titulares Edmund Chada Baracat, do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia, e Luiz Augusto Carneiro D’Albuquerque, do Departamento de Cirurgia.

O médico Dani Ejzenberg conta que, “após aprovação dos comitês de ética do HCFMUSP, do Conep e do Sistema Nacional de Transplantes, em setembro de 2016 foi realizado o primeiro transplante uterino da América Latina. Acompanhamos a paciente por sete meses, para que fosse feita a primeira transferência embrionária, até que em dezembro de 2017, tivemos o nascimento da primeira criança no mundo através de transplante com útero de doadora falecida”. O pré-natal e o parto foram realizados pela Disciplina de Obstetrícia do HCFMUSP. O Dr. Dani Ejzenberg complementa: “o trabalho deu origem a uma publicação na revista The Lancet em dezembro 2018, que ficou na 15ª colocação, dentre 30 mil artigos divulgados desde o início do periódico, e também foi situado entre os 50 artigos com maior repercussão em todas as áreas da ciência no mundo, em 2019 (altmetric top 100). Foram muitos colegas de diversos setores que colaboraram para que esse estudo tivesse êxito, continuamos em busca de financiamento para que possamos seguir nas investigações e possamos ajudar cada vez mais mulheres a atingirem o sonho da maternidade”.

O Prof. Edmund Baracat diz: “o desfecho exitoso deste projeto, que se iniciou em 2015 com um treinamento na Suécia, deve-se fundamentalmente ao trabalho conjunto realizado pelas equipes do Centro de Reprodução Humana da Disciplina de Ginecologia da FMUSP e de Transplante Hepático do Departamento de Gastroenterologia da FMUSP. Antes da realização do transplante, a paciente foi minuciosamente avaliada no Centro de Reprodução Humana para aquilatar seu potencial reprodutivo, para posterior fertilização in vitro”. 

“Este prêmio reverencia uma pesquisa de enorme repercussão social, possibilitando o sonho da maternidade a milhares de mulheres”, afirma o Prof. Luiz Augusto Carneiro D’Albuquerque.

Confira os demais finalista e a cerimônia do Prêmio ANM 2020 em: https://bit.ly/33ZR7iI



Dr. Wellington Andraus e Dr. Dani Ejzenberg (em pé) e Prof. Luiz Carneiro e Prof. Edmund Baracat (sentados)  Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo