COVID-19

Atividades de pesquisa e inovação que estão sendo conduzidas na Faculdade de Medicina face à pandemia do Covid 19.

  • Governança

    A Faculdade está na linha de frente no enfrentamento da pandemia. Os professores das áreas de medicina preventiva e infectologia ocupam postos chaves. O Prof. Paulo Rossi dirige o Centro de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde. O Prof Esper Kallas é membro do Centro de Contingência de Coronavírus da Secretaria e coordena o Grupo de Trabalho -USP COVID-19, criado para sistematizar as diversas ações e pesquisas desenvolvidas pela USP.

    Outros membros do grupo são a Profa. Anna Sara Levin, e a Profa. Ester Cerdeira Sabino, diretora do Instituto de Medicina Tropical. Esse Instituto, que assume o protagonismo na epidemia, foi recentemente reincorporado à FMUSP.

  • Assistência hospitalar

    Os docentes da faculdade dirigem todos os serviços assistenciais do Hospital das Clínicas e são responsáveis pela governança da instituição. Foi montado um comitê de crise que define toda a estratégia do Hospital e centraliza as decisões.

    O hospital tem 75 anos e, pela primeira vez na história, dedica os 900 leitos do seu Instituto Central para o atendimento aos casos de coronavírus, o que exigiu uma enorme operação logística, com a transferência de pacientes e de serviços. A obstetrícia, por exemplo, foi transferida para o Hospital Universitário. Grande parte de outras atividades, como as consultas ambulatoriais e cirurgias eletivas, está suspensa.

    Todos os profissionais participam: estudantes, residentes, médicos e docentes de todas as áreas estão envolvidas na resposta à epidemia, independentemente da sua especialidade


  • Controle infecção

    O controle de infecção hospitalar com essa nova moléstia fica sob a orientação da Profa. Ana Sara Levin, responsável pela Comissão de Controle de Infecção. Ela coordena o estabelecimento de protocolos de manejo dos pacientes, a higienização e os treinamentos para se evitar o contágio, envolvendo proteção dos profissionais de saúde, treinamento quanto ao uso correto de equipamentos de proteção individual (EPI).

    Um exemplo de pesquisa nessa área é o teste em pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 de máscaras de respiração descartáveis com aplicação de agente potencialmente virucida. A pesquisa envolve pesquisadores da FMUSP, do Instituto de Química e do Instituto de Ciências Biomédicas.
  • Pneumologia

    Especialidade fundamental no tratamento do COVID-19, a disciplina de pneumologia da FMUSP, liderada pelos Profs. Carlos Carvalho e Marcelo Amato, vem empregando sua expertise de nível mundial para desenvolver protocolos específicos de tratamento e dar treinamento a todos os intensivistas do Estado. As aulas e protocolos estão disponíveis no site do Hospital das Clínicas, em sua Escola de Educação Permanente.

    Também já está disponível um serviço de discussão de casos em tempo real, implantado com tecnologia desenvolvida pela área de inovação do Instituto do Coração.

    Marcelo Amato, em conjunto com pesquisadores da POLI, desenvolveu uma tecnologia pioneira, a Tomografia de Impedância Elétrica para avaliação pulmonar no leito. Esse equipamento é fundamental no tratamento de pacientes graves, e evita seu deslocamento para exames de tomografia, além de fornecer dados em tempo real. Esse equipamento é comercializado mundialmente pela empresa Timpel, que nasceu na USP, recebeu financiamento do PIPE Fapesp e depois da Finep e foi incubada no CIETEC.

    Lembrando que a Medicina também oferece os cursos de fisioterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia. O Prof. Celso Ricardo Carvalho está liderando o treinamento das equipes de fisioterapia que estão atuando nas UTIs e no tratamento dos pacientes de menor gravidade.

  • Ventiladores

    A Faculdade de Medicina está colaborando com os pesquisadores da Escola Politécnica Marcelo Knorich Zuffo e Raul Gonzalez Lima no desenvolvimento e testes do ventilador pulmonar aberto de baixo custo, INSPIRE. Os docentes da FMUSP auxiliaram na definição dos requisitos mínimos do produto e nos testes com animais e com seres humanos, estes sob coordenação do Prof. Jose Otavio Auler Jr, da disciplina de Anestesiologia. Mais informações em https://www.poli.usp.br/inspire

  • Diagnóstico

    Com relação ao diagnóstico e caracterização do vírus, a Profa. Ester Sabino apresentou em 48 horas o sequenciamento daquele que foi considerado o primeiro caso no país (assista aqui o webinar em que a pesquisadora apresenta suas pesquisas sobre o vírus). Ela continua liderando esse trabalho de pesquisa juntamente com os pesquisadores do Adolfo Lutz. E essa pronta resposta não ocorreu por acaso. O grupo liderado pela Profa. Ester trouxe para o Brasil uma tecnologia desenvolvida pela Universidade de Oxford, testada durante a epidemia de Ebola, na África, que emprega um sequenciador de baixo custo. Com financiamento da Fapesp, a tecnologia já estava sendo utilizada na epidemia de dengue que está em curso.

    As Profas. Ester, Cassia Mendes Correa e Thelma Okay lideram grupos que pretendem desenvolver testes sorológicos, partindo das culturas virais em células obtidas pelo ICB. Pretendem disponibilizar, o mais rapidamente possível, testes sorológicos (ELISA e IFI) voltados ao diagnóstico da Covid 19, uma vez que os testes de PCR, embora muito sensíveis e específicos, não poderão ser realizados na escala esperada em uma epidemia.

    Outro estudo propõe a investigação da excreção viral em diferentes materiais biológicos. Pretende-se investigar a presença do SARS-CoV-2 em saliva, urina, sangue e fezes, durante a fase aguda e de convalescença da infecção.

    No departamento de Moléstias Infecciosas o Prof. José Angelo Lindoso criou um protocolo de pesquisa para buscar uma técnica menos invasiva para obtenção de material biológico que gere menos aerosol, com maior segurança para o profissional de saúde.

    Com relação aos diagnósticos da doença, o vice-diretor da FMUSP, o Prof. Roger Chammas, juntamente com o diretor do Instituto de Ciências Biomédicas, coordena a Rede Colaborativa de Diagnóstico de Covid 19, um grupo de laboratórios de pesquisa da USP que está apoiando o Instituto Adolfo Lutz na realização dos exames diagnósticos por PCR.

  • Patologia

    Para entender a doença, um outro grupo tem papel fundamental: o dos patologistas. São liderados pelos Profs. Paulo Saldiva e Luis Fernando Ferraz da Silva, este também diretor do Serviço de Verificação de Óbitos da Capital, um órgão ligado à Reitoria da USP, mas orientado pelos professores da patologia da FMUSP.

    Sob a liderança desses professores e da Profa. Mariza Dolnikoff está sendo conduzida uma pesquisa com autópsia minimamente invasiva dos casos de morte por coronavírus. Por segurança, as autópsias tradicionais não podem ser realizadas em pacientes que morrem por coronavírus ou em qualquer suspeito, motivo pelo qual foram suspensas. Assim, os patologistas utilizam essa técnica, que foi validada em nosso meio pelas pesquisas do grupo.

    Na Autópsia minimamente invasiva são feitas biópsias de diferentes órgãos guiadas por ultrassonografia.  Com essa pesquisa será melhor compreendida a fisiopatologia da COVID-19, suas principais alterações morfológicas e correlação dos achados histológicos e moleculares com exames de imagem post-mortem e dados clínicos dos pacientes.

    Os primeiros achados já foram apresentados aos médicos em reunião promovida pelo Conselho Regional de Medicina e que está disponível no youtube do CREMESP.

    A Faculdade de Medicina abriga um projeto denominado Plataforma de Imagens na Sala de Autópsia, o PISA. São equipamentos de imagem de alta precisão, entre eles uma Ressonância Magnética de 7 tesla, instalados ao lado da sala de autópsia. Esse arranjo, único no mundo, permite a realização de pesquisas durante epidemias, como ocorreu recentemente no caso da Febre amarela e da zika.

  • Diagnóstico por Imagem

    Para a fase de tratamento, um grupo de radiologistas, liderado pela Profa. Claudia Leite, está realizando uma pesquisa que visa a constituir um banco de imagens de radiografia convencional e Tomografia computadorizada de diversas instituições brasileiras e aplicar uma análise de inteligência artificial nesse banco a fim de melhorar o diagnóstico pelo COVID-19.

    Pretende-se estratificar o risco dos pacientes para insuficiência respiratória. Além disso, pretendem validar ferramentas já prontas disponíveis no mercado e estabelecer um algoritmo que permita o diagnóstico de covid-19 através de exames tomográficos dos pulmões.

  • Tratamento

    Os professores da FMUSP estão participando de um protocolo de pesquisa multicêntrico para avaliar o possível papel da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19

    Sob a coordenação do Prof. Heraldo Possolo estão sendo feitos dois estudos em pacientes com a síndrome respiratória aguda atendidos no Serviço de Emergência do HCFMUSP: um ensaio clínico usando N-acetilcisteína para o tratamento da síndrome e o estabelecimento de uma coorte procurando marcadores séricos e/ou ultrassonográficos capazes de predizer a evolução da Síndrome.

    Outro estudo é o da prevalência de Coronavírus COVID-19 na população de doadores de sangue da Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo e desenvolvimento de Imunoterapia passiva através da transfusão de plasma de indivíduos convalescentes em pacientes com doença aguda grave. Esse estudo envolve dois hospitais privados da capital e hemocentros do interior e outros estados.                     

    Tratamento com anticoagulante se torna uma luz no fim do túnel contra Covid-19 - Pesquisa coordenada pela Dra. Elnara Negri - o trabalho científico está disponível na Science
                                                                                                                                                                                                                                                                                    
  • Vacina

    No campo da prevenção, o Prof. Jorge Kalil está liderando a busca por uma vacina contra o Covid-19. O Prof. Kalil coordena o INCT (Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia) em Imunologia. Um vídeo detalhado sobre o desenvolvimento sobre a vacina também está disponível no Youtube.

  • A vida com a epidemia

    Outras pesquisas que já estavam em andamento foram adaptadas para as mudanças provocadas pela pandemia.

    Um inquérito sobre depressão em idosos foi adaptado pela Profa. Marcia Scazufca para contemplar o impacto do Covid, O objetivo é entender como a epidemia e o isolamento social impactaram a saúde mental e física de idosos.

    Uma equipe coordenada pelo Prof. Orestes Forlenza busca monitorar o estado de saúde mental dos pacientes ambulatoriais diante da crise desencadeada pela pandemia Covid-19 bem como do isolamento em domicílio.

    A população-alvo desta iniciativa são os pacientes idosos com transtornos mentais, tais como demências, transtorno bipolar e Depressão Geriátrica. A equipe busca se antecipar diante da possibilidade de recaídas clínicas, entre outros.

    O Grupo de Pesquisa em Fisiologia Aplicada & Nutrição, trabalha em duas frentes durante a crise: 1) produção de artigos de revisão sobre o potencial impacto do isolamento provocada pela pandemia sobre a inatividade física e suas repercussões sobre a saúde de populações; e 2) elaboração de cartilhas, textos e vídeos sobre promoção de estilo de vida saudável (alimentação, atividade física, etc), divulgados no canal Ciência inForma, de autoria dos coordenadores do Grupo de Fisiologia, e na mídia em geral, incluindo o Jornal da USP.

  • Treinamento

    O Centro de Desenvolvimento de Educação Médica está organizando o Curso COVID -19: Atualização e evidências para profissionais da saúde. Destina-se aos profissionais da saúde que atuam nos diferentes níveis de cuidado e especialidades, e aos estudantes da área da saúde. É um curso autoinstrucional, online, gratuito, que contará com uma sessão de artigos científicos e novidades validados pelos autores do curso. Este curso será ofertado pela Escola de Educação Permanente do HCFMUSP.

Pesquisa sobre a COVID-19 a ser realizadas na Faculdade de Medicina já aprovadas na Comissão Nacional de Ética em Pesquisa 

  • 01 - Avaliação da dinâmica de transmissão do novo coronavírus (SARS CoV-2) utilizando GPS.
  • 02 - A diversidade genética do Coronavírus no Brasil.
  • 08 - Avaliação de impacto da epidemia de SARS-Cov-2 em serviços de saúde na cidade de São Paulo através de modelização matemática.
  • 20 - Estudo Transversal dos efeitos da infecção pelo Covid-19 no sêmen humano.
  • 21 - Desenvolvimento de vacina para SARS-Cov-2 utilizando VLPs.
  • 23 - Estudo da prevalência de Coronavírus COVID-19 na população de doadores de sangue da Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo e desenvolvimento de Imunoterapia passiva através da transfusão de plasma de indivíduos convalescentes em pacientes com doença aguda grave.
  • 32 - Estudo da COVID-19 fatal por meio de autópsia minimamente invasiva guiada por ultrassom.
  • 51 - Ensaio clínico utilizando N-acetilcisteína para o tratamento de síndrome respiratória aguda grave em pacientes com Covid-19.
  • 52 - Avaliação rápida de eficácia de inativação do vírus SAR-CoV-2 nos equipamentos de proteção individual dos profissionais de saúde.
  • 65 - Estudo de coorte dos pacientes atendidos no Serviço de Emergência com diagnóstico de Covid-19.
  • 74 - Avaliação por questionário das alterações de olfato e gustação em pacientes com teste de COVID-19 positivo.
  • 76 - Estudo exploratório em gestações com SARS-CoV-2 positivo.
  • 80 - Prevalência da Infecção COVID19 em uma coorte de risco.
  • 88 - Estudo diagnóstico e prognóstico de infecção por SARS-CoV-2 e influenza vírus.
  • 90 -  Descrição clínica, de complicações e desfechos de casos do novo Coronavirus em Hospital Infantil Terciário da cidade de São Paulo, durante surto de 2020.
  • 92 - Desenvolvimento de testes sorológicos para a detecção de anticorpos IgG anti-SARS-CoV2 (Covid 19): aplicação no diagnóstico da infecção e aplicação em estudos soroepidemiológicos.
  • 110 -  Avaliação das características clínicas, angiográficas e prognóstico de pacientes com infarto agudo do miocárdio infectados pelo COVID-19 submetidos a cateterismo cardíaco.
  • 125 - Investigação de anticorpos neutralizantes na infecção pelo SARS-CoV-2.
  • 126 - Suscetibilidade genética a complicações associadas à infecção por SARS-CoV-2 em São Paulo.
  • 127 - Diagnóstico da infecção pelo SARS-CoV2, em diferentes materiais biológicos, em pessoas infectadas por esse vírus.
  • 156 - Saúde mental e Pandemia de SARS-CoV2: um estudo sobre ansiedade entre gestantes e profissionais que atuam em um serviço hospitalar de Obstetrícia.
  • 180 - Opiniões dos estudantes de medicina sobre seu papel na pandemia do COVID-19.
  • 193 -  Aplicação da inteligência artificial no diagnóstico por radiografia convencional e tomografia computadorizada do Covid-19.
  • 197 - Efeito da posição prona em pacientes em ventilação espontânea como manejo de hipoxemia nos pacientes com suspeita de COVID-19  - Estudo retrospectivo.
  • 199 - Avaliação das Características Clínicas, Laboratoriais e Prognóstico de Pacientes com Lesão Cardíaca Infectados pelo COVID-19 ou Cardiotoxicidade pelo Tratamento com Hidroxicloroquina ou Azitromicina: CORONAHEART Registry.

FAPESP: Projetos selecionados na chamada Suplementos de Rápida Implementação contra COVID-19

  • Pesquisador responsável: Profa. Dra. Ester Cerdeira Sabino

    Instituição Sede: FMUSP

    Estudo da prevalência do Coronavírus COVID-19 na população de doadores de sangue e avaliação dos soropositivos para a produção de soro hiperimune

  • Pesquisador responsável: Prof. Dr. Heraldo Possolo de Souza

    Instituição Sede: FMUSP

    Pacientes com síndrome respiratória aguda grave por Covid-19 em Serviço de Emergência

  • Pesquisador responsável: Prof. Dr. José Carlos Nicolau

    Instituição Sede: InCor

    Desenho de diferentes fragmentos da proteína de superfície, spike, do SARS-CoV-2, para desenvolvimento de testes rápidos e de vacina